João Pessoa, 18 de fevereiro de 2018 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

O fator Veneziano

Comentários:
publicado em 12/02/2010 às 07h12

Eclode nos bastidores suposto resultado de pesquisa encomedada pelo prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), para consultar os campinenses sobre seu futuro político.

Se o eleitor da Rainha da Borborema realmente preferiu Vené na Prefeitura e não disputando um cargo em 2010, o cabeludo e seus aliados precisam fazer algumas reflexões.

É absolutamente natural que quem elegeu alguém há pouco tempo para governar a cidade queira a permanência deste agente político no cargo para qual foi eleito tão recentemente, principalmente num município onde a briga política é acirrada, como Campina.

Outro fator necessário ser levado em conta é que muitos dos entrevistados pela pesquisa também são eleitores de Cássio Cunha Lima. Estes têm todo interesse que Vené fique onde está e não seja obstáculo no caminho do ex-governador.

Aparentemente ficar na Prefeitura é o mais viável nesse momento para o neto de Pedro Gondim. Ele já externou que não teme ficar dois anos sem mandato, embora muitos achem uma estratégia perigosa.

O problema é que essa provável decisão de Veneziano cria um ambiente ruim pra ele no PMDB. Um aliado próximo de Maranhão outro dia me confidenciava que se Vené não aceitar a missão de 2010, ele naturalmente fecha espaços no partido e deixa de ser o preferido para 2014, principalmente se, em caso de reeleição do governador, surgir um vice habilidoso.

É um caso a se pensar.

Vitalzinho – Dizem que o maior interesse na permanência de Veneziano na Prefeitura é do irmão Vitalzinho, que quer ser candidato ao Senado, abrir espaço para a mãe, Nilda Gondim, disputar a Câmara Federal, tendo o irmão pra dar suporte em Campina Grande.

Reações – Peemedebistas que já assimilaram a estratégia e o trabalho de Vitalzinho não estão gostando da operação silenciosa. Acham que Vitalzinho está pensando pouco no grupo e muito mais no próprio umbigo.

Leia Também