João Pessoa, 19 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Cassistas reclamam hoje do que fizeram ontem

Comentários:
publicado em 09/06/2010 às 23h34

As vezes eu tenho certeza que muitos cassistas acreditam piamente que na Paraíba todo mundo é idiota, ignorante ou não tem memória.

É a convicção formada a partir de cada declaração moralizadora e cheia de graves de alguns deputados da oposição, quando acusam o atual governo de viver de obras fictícias e ações mentirosas.

Esquecem os vigilantes oposicionistas que quem inaugurou essa prática com maestria e reconhecida habilidade foi exatamente o ex-governador tucano.

Foi Cássio que vendeu na televisão, guia eleitoral e discursos inflamados um centro de convenções que nunca saiu do papel e só existiu na maquete preparada pela mídia do então governo.

Foi exatamente o hoje pré-candidato a senador o idealizador da faraônica ponte Cabedelo-Lucena. Pelo que sei, quem vai curtir as praias de Lucena ainda precisa pegar a balsa ou viajar pela rodovia.

Eletronicamente, Cássio foi um mágico para fazer obras e vender ilusões que nunca chegaram sequer a sair do HD dos computadores do marketing eleitoral.

A Oposição tem legitimidade de fiscalizar e cobrar do atual governo, que também comete vez por outra os seus exageros. Mas antes de atacar, é bom lembrar como a gestão tucano-democrata se comportou no verão passado.

Os ricardistas até que podem usar esse mote para tentar desconstruir o Maranhão III, porque o governo do ex-prefeito não ficou conhecido por promessas mirabolantes.

Agora aos cassistas é recomendável pular essa página porque o eleitor pode querer ler o livro inteiro, inclusive folhear os capítulos anteriores da obra. Aí o final pode não ser tão feliz.

Bobo da corte – O "menino de ouro" Felipe Leitão (PRP) perdeu uma excelente oportunidade de se manter imperceptível na Câmara de João Pessoa ao, ridicularmente, se escalar para intermediar uma negociação entre Maranhão e Ricardo.

Revide – Rayssa Lacerda classificou a jocosa proposta de Felipe como ato de desespero político do parlamentar pessoense. "Eu tenho pena dele", refutou a filha de Zé Lacerda.

Eficiência – As duas bancadas na Assembléia reconhecem a postura de serenidade do presidente da Casa, Ricardo Marcelo. Botou o colégio de líderes para funcionar e organizou agenda para limpar a pauta de votação.

Pai Tavinho – O vereador Tavinho Santos (PTB) prevê dificuldades para Maranhão conseguir uma equação pacifíca para fechar a chapa majoritária. Santos entende que a situação política do governador é boa, mas complicada porque precisa conciliar interesse de muitas correntes internas.

Leia Também