João Pessoa, 19 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de vice-presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

9 de setembro, Dia do Administrador

Comentários:
publicado em 09/09/2010 às 11h07

Dois esclarecimentos neste começo de saudação aos Administradores paraibanos:

– 1) Muitos sabem que profissionalmente sou Administrador…. Administrador com registro profissional nº 351, junto ao CRA-PB (Conselho Regional de Administração da Paraíba), registro este respaldado no diploma de bacharel em administração pela UFPB, cujo curso concluí em 1977. Portanto, entre os Administradores essa denominação – Administrador – é entendida como própria aos que se graduaram em administração e têm registro junto ao CRA-PB, deste órgão recebendo a respectiva carteira profissional. Lastimavelmente, aqui no Brasil, mesmo existindo a Lei Federal nº 4.769, de 9 de setembro de 1965, que regulamentou a profissão de Administrador, essa denominação – Administrador – é utilizada (ou melhor, apropriada) por muitos que legalmente não o são, sem contar que até mesmo no campo judicial há essa indevida apropriação e/ou interpretação.

– 2) Já foi aqui dito que a Lei que regulamentou a profissão de Administrador é de 9 de setembro de 1965. Estamos, portanto, completando 45 anos de reconhecimento e regulamentação profissional. E em razão dessa Lei e como homenagem aos respectivos profissionais, a data 9 de setembro foi e é tida, também, como Dia do Administrador.

Nas comemorações pela passagem do Dia do Administrador, orgulhoso que sou por integrar esta categoria profissional, saúdo a todos os colegas paraibanos, concitando-os a cada vez mais nos orgulharmos da profissão e anunciarmos que somos, sim, Administradores, em vez de privilegiarmos as denominações Executivo, Empresário ou Professor que possamos ser.

Quando nos anos 1991 e 1992, assim como de 2001 a 2003, estive como presidente do CRA-PB, muito me empenhei para que não só o órgão próprio da classe (o CRA-PB), mas principalmente os profissionais Administradores fossem como tais conhecidos e reconhecidos. Junto com colegas como Anchieta Bernardino, Wallace Mendes, Elza Seixas, Ruth Morais, Vanildo Pessoa, Francisco Barros, Lúcio Flávio, Gustavo Nogueira, Sônia Trigueiro, Maria José Gomes, Moisés Marques, Hugo Misael, Luciano Caul, Mara Rúbia, José Carvalho Costa Filho, Geraldo Rosas, Almir Carvalho, Wilson Marinho, Francisco de Assis, Osanira Maia, Brígida Araújo, Lourdes Baltar, Rubens Carneiro, Zulamar Ferreira, Damião Leite, Abraão Morais, Solânea Cavalcanti, Willam Dumont, Sílvio Furtado, entre vários outros dedicados colegas que o espaço não daria para mencioná-los um a um, atuamos para que à classe e a cada um Administrador profissional fossem dados reconhecimento e visibilidade.

Há cerca de uns seis anos retraí-me relativamente ao CRA-PB, dele não me desvinculando oficialmente, mas me ausentando no engajamento que cada Administrador precisa ter para propugnar pela valorização da categoria. E dessa ausência não há que se atribuir culpa a nenhum de seus recentes dirigentes. O que houve foi uma apreciação equivocada do Tribunal de Contas da União em relação às minhas contas como presidente do CRA-PB, taxando-as de irregulares e me impondo multa de R$ 6 mil, de cuja decisão recorri. Agora, recentemente, mês de julho de 2010, aquele órgão refez tal decisão, tornando insubsistente aquela multa e considerando plenamente legal a despesa que havia sido autorizada e que dizia respeito ao pagamento de meia-bolsa de funcionárias do CRA-PB como alunas do curso de administração. Uma delas era Sandra Macena que, no primeiro mês de aulas, faleceu, exatamente quando saiu das aulas e atravessava a BR-230, sendo atropelada por um automóvel. A passarela de pedestres, em frente ao Unipê, construída após aquele acidente, tem seu nome!
Mas, passado é passado, principalmente por ter sido corrigido o que precisava sê-lo. Por isto, saudando os colegas Administradores pela passagem de nosso dia, Dia do Administrador, concito-os a sempre estarmos juntos propugnando pela crescente valorização desta categoria profissional!