João Pessoa, 16 de dezembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Prenúncio de terceiro turno

Comentários:
publicado em 30/10/2010 às 01h38

Na véspera da eleição na Paraíba, o clima beligerante entre as duas coligações insinuam que seja qual for o resultado deste domingo a parte derrotada buscará na Justiça a vitória que não alcançará nas urnas.

Do lado maranhista, a grande queixa é a suposta irregularidade na desapropriação da Fazenda Cuiá pela Prefeitura de João Pessoa. Os peemedebistas acusam o prefeito Luciano Agra de ter superfaturado a obra para fazer caixa dois em benefício do PSB.

O diligente suplente de vereador João Almeida já se escalou e prometeu protocolar pedido de CPI na Câmara. O ex-secretário da Prefeitura de João Pessoa fala até em impecheament do socialista.

O Cuiá pode ser o mote usado por Roosevelt Vitta e companhia LTDA no terceiro turno, caso o governador não tenha êxito nas urnas neste domingo.

Por outro lado, se perder a eleição, o PSB certamente irá ao Poder Judiciário reclamar de aparente conduta vedada do governador no caso da PEC 300, sacada da cartola de Maranhão nas vésperas de um segundo turno.

Alegarão os dispositivos da Lei de Responsabilidade Fiscal e os ditames da legislação eleitoral que proíbem certas bondades nos últimos quatro meses de gestão.

A disposição de brigar na Justiça pode ser anunciada já na segunda-feira, um dia depois do resultado, assim como aconteceu em 2006.

De lá pra cá, a Paraíba não teve mais sossego e nem tempo para crescer e pensar grande.

Covardia – Não precisa ser jornalista para justificar solidariedade ao jornalista Helder Moura. O pai dele, seu Domingos, de 80 anos, foi vítima de ato covarde. Nada justifica a agressão praticada contra a família de Helder.

Leia Também