João Pessoa, 20 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

O tempo de Maranhão

Comentários:
publicado em 06/11/2010 às 16h57

O governador José Maranhão pode até resistir, mas gradativamente ascensão de outros líderes mais jovens do PMDB ao comando do partido é inevitável.
Após o revés das urnas, mesmo com a caneta e todo o poder na mão, é necessário abrir mão para quem chega na cena política com menos desgaste e mais promessa de vitória.

Maranhão já deu toda sua contribuição ao PMDB e a Paraíba. Construiu um currículo respeitável na política e por isso mesmo precisa ser humilde para entender que a hora é de abrir caminhos. A vida é assim.

Não dá pra remar contra a maré da vontade do povo. E o voto mostrou que a Paraíba decidiu renovar. O PMDB também sentirá essa necessidade, mais cedo ou mais tarde.

Por enquanto, a ferida ainda está aberta, mas pode apostar: após janeiro do próximo ano, algumas lideranças vão começar a defender essa tese abertamente. E talvez sem a forma cordial como agora fingem defender a manutenção do ainda governador.

Fora do ar – O coordenador da campanha do PSB, Nonato Bandeira, saiu de circulação e se deu férias. Descansa da jornada de quase seis meses de muita turbulência. Só volta ao circuito em dezembro.

Aniversário – O presidente da Assembléia Legislativa, Ricardo Marcelo, comemorou aniversário com familiares e amigos neste sábado. Renovou energias para o embate que se aproxima na Mesa da Casa.
 

Leia Também