João Pessoa, 30 de dezembro de 2010 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

De volta pro (seu) aconchego

Comentários:
publicado em 30/12/2010 às 20h54

Os programas radiofônicos Correio da Manhã e Correio Debate, na quinta-feira ante-véspera de Natal, reportaram-se ao pronunciamento de despedida do senador Roberto Cavalcanti feita, semana passada, do plenário do Senado Federal. E aqui, no Correio da Paraíba, na edição de ontem (domingo), o próprio senador escreveu artigo referindo-se ao seu "retorno" para os amigos, para os companheiros de trabalho, para o mar, para as praias… para a Paraíba. E na convicção de seu grande amor pela terra paraibana, reproduziu a expressão do senador Cristovam Buarque, também feita do plenário do Senado Federal, que destacou: "Roberto é o pernambucano mais apaixonado pela Paraíba, que eu conheço".

Não me lembro em qual dos programas radiofônicos (se no Correio da Manhã ou no Correio Debate) essas referências jornalísticas ao pronunciamento de despedida de Roberto Cavalcanti fizeram-se com o fundo musical da canção "De volta pro meu aconchego". E esse "bg" (como assim classificam os profissionais da mídia) muito bem se encaixou a esse momento em que um homem público conclui seu mandato e no discurso de despedida chama a atenção de que para ele "também é uma felicidade encerrar esse capítulo", consciente de que empregou todas as suas energias e atenções para honrar o mandato de senador representante da Paraíba no Congresso Nacional. E o fez mesmo de forma não surpreendente porque dele já se esperava tão marcante desempenho… assim fez pela seriedade e responsabilidade com que encara todos os seus encargos. E nessa missão senatorial teve de sacrificar, mais do que suas atividades empresariais, sua vida familiar, situação só superada pela compreensão e apoio da esposa, dos filhos e até dos netos, genros e noras, como ele própria realça.

Quem duvidaria que Roberto Cavalcanti, se efetivamente tivesse pretendido, teria sido eleito como representante paraibano em um dos cargos proporcionais do Congresso Nacional? Certamente, ninguém!

Ele, entretanto, dissera-me bem antes da recente campanha eleitoral o quanto lhe era importante – mesmo diante de tantos amigos que fez no Senado – deixar de ter pontes aéreas semanais entre João Pessoa/Brasília porque a cada retorno "trazia na mala bastante saudade", aqui encontrando "sorrisos sinceros e abraços", sobretudo da família para "aliviar seu cansaço". E parecia cantar: "Alegro-me na hora de regressar/ Parece que eu vou mergulhar/ Na felicidade sem fim".

A Paraíba está agradecida a Roberto Cavalcanti pelo exemplo parlamentar que deu no Senado Federal. E também está feliz por sua volta ao seu aconchego… sem descartar seu retorno como político!