João Pessoa, 20 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Guerra no PT

Comentários:
publicado em 20/01/2011 às 12h07

Menos de dez dias depois de um sinal de paz entre as alas divergentes do PT, eis que integrantes do agrupamento majoritário do partido surpreendem e apresentam pedidos de abertura de processos disciplinares contra petistas do campo aliado do deputado federal Luiz Couto.

José Ivonaldo, do Movimento PT, tendência capitaneada pelo deputado estadual Frei Anastácio, quer a suspensão dos direitos políticos de Walter Aguiar, Marenilson Batista e Carlos Alberto Dantas, auxiliares do Governo Ricardo. Ivonaldo invoca resolução de dezembro na qual o PT decidiu fazer oposição à gestão socialista.

No final da tarde de ontem, Fernando Lopes, da tendência A Mensagem, que tem como uma de suas expoentes na Paraíba a ex-secretária do Governo Maranhão, Giucélia Figueiredo, impetrou pedido de punição ao deputado Luiz Couto, a quem acusa de desobediência às instâncias partidárias por ter feito campanha pró-Ricardo.

Os atos impulsionaram revanche imediata do grupo de Couto e aprofundaram a crise. Sem perdão, o exército do padre promete revanche e guerra no velho estilo “bateu levou”. Se os processos forem abertos, setores ligados a Luiz ameaçam mirar no deputado Jeová Campos, protagonista de inúmeras dobradinhas com candidatos do DEM nas eleições deste ano. Foi esse o recado de Wallene Cavalcanti, um dos talibãs de Couto, em contato com a coluna.

O presidente Rodrigo Soares pode até não ter responsabilidade direta pela temporada de caça às bruxas contra dissidentes, mas a situação coloca-lhe em maus lençóis, porque partiu dele a proposta de armistício. Nesse caso, até a inocência de Rodrigo deporá contra, porque não se concebe um líder desprovido de controle e domínio sobre atos e movimentos de seus liderados. Das duas, uma: ou o agrupamento de Rodrigo lhe desautorizou ou a operação de guerra contra os dissidentes tem seu aval.

Consulta – Antes da apuração da denúncia contra Luiz Couto, o secretário de organização do PT, Josenilton Feitosa, consultará a cúpula petista em Brasília sobre o assunto, já que o deputado federal tem assento na executiva nacional do partido e detém espécie de foro privilegiado. De qualquer sorte, a executiva estadual tem 15 dias para avaliar o caso.

No ar – Soou muito estranha a renúncia voluntária do tesoureiro da OAB-PB, Leopoldo Viana. Em contato com a coluna, o advogado revelou que desde o ano passado têm divergências administrativas com o presidente Odon Bezerra.

Discordância – “Considerando minha personalidade e meus princípios, resolvi renunciar o cargo. Foram diversos fatores que me fizeram tomar essa decisão. Não dá para enumerar por questões de ética pessoal”, disse Leopoldo à coluna.

Descarrego – Na briga pela vaga de Edmilson Soares, a oração do suplente pastor Edmilson (PRB) tem sido mais forte que as preces do padre Adelino (PSB). Durval Ferreira optou pelo irmão evangélico.

Fim dos tempos – O suplente de deputado federal Walter Neto (PRB) postou no twiter: “não parece ser mera semelhança com o Apocalipse todos os acontecimentos súbitos de conseqüências trágicas no Rio”.

Batendo na… – Primeiro foi o deputado Manoel Júnior (PMDB) que divulgou audiência com o ex-presidente da Câmara e vice-presidente da República, Michel Temmer. Foi uma visita de muita cortesia.

…Porta do céu – Depois o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP) declarou apoio ao atual presidente da Casa, Marcos Maia (PT-RS). Argumentou que o gaúcho é um grande agregador. Essas almas estão querendo reza.

SPC – Cotado para o Daesa, o vereador Dedé Veras (PSDB), de Sousa, acusou o ex-diretor, Budim Gadelha, de má gestão. Houve troco: Budim divulgou dívida de R$ 3,6 mil do vereador ao órgão.

Costume – O governador Ricardo Coutinho queria ir, sem segurança, a uma festa nesse final de semana. Aconselhado a não abdicar da regalia em eventos públicos, desistiu e preferiu ficar mesmo em casa.

Otimismo cósmico – Ao circular pelos corredores da sede da Cagepa ontem, o intrépido deputado Tião Gomes (PSL) deu uma de mãe Diná. Previu um Big Bang na Assembléia: “Vinte e nove vão ganhar de sete”.

Talento – Deu no Blog do Fuxico. Sem mandato, Nivaldo Manoel (PMDB) agora dedica horas para aprender tocar violão. Se depender das recentes experiências, ninguém duvide: será um grande artista.

Agrado – Advogados com militância na Comarca de Juazeirinho estão recorrendo ao tradicional jeitinho brasileiro para garantir junto a certos servidores celeridade ou lentidão na tramitação de processos.

Entre aspas – “Deus me levou pra ser deputado. Se Deus quiser, vou retornar”. Do deputado federal Major Fábio (DEM), que assumiu após renúncia e cassação. Os titulares devem se benzer.

Reprodução do Correio da Paraíba

Leia Também