João Pessoa, 21 de outubro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora
AMISTOSO

Após crise, Brasil enfrenta Equador com nova defesa

Comentários:
publicado em 09/09/2014 às 11h35

Fora de campo, o primeiro grande problema da "Nova Era Dunga" foi o corte do lateral direito Maicon. Ele se reapresentou com atraso e foi afastado da delegação, uma história que ainda nem está totalmente esclarecida ou superada. Mas a Seleção Brasileira tem um amistoso marcado, tentará olhar para frente e precisará superar também uma dificuldade em campo: estrear uma nova defesa diante do Equador, nesta terça-feira, às 22h (de Brasília).

O setor terá a linha de quatro formada por Danilo, Miranda, Marquinhos e Filipe Luis. Eles nunca jogaram juntos e sequer estavam na Copa do Mundo. A tão pedida "reformulação" no Brasil foi feita por linhas tortas: Thiago Silva nem foi convocado por lesão. David Luiz se machucou contra a Colômbia. E o próprio corte de Maicon também mudou o time titular.

O que há de entrosamento entre eles reside na dupla Miranda e Filipe Luis. Na temporada passada da Europa, eles formaram um time que surpreendeu exatamente por ter uma defesa muito forte, o Atlético de Madrid, campeão espanhol.

Mas Danilo e Marquinhos foram praticamente pegos de surpresa com a oportunidade. O lateral diz estar tranquilo. "Estou me preparando há bastante tempo para essa chance. Ela surgiu de maneira inesperada, mas espero ajudar", afirmou ele, alegando um pouco de tristeza pelo corte do seu colega de posição.

Do meio para a frente o time deve ser o mesmo que jogou contra Colômbia, com atletas que atuaram na Copa do Mundo, como Oscar e Willian. Sem novidades, fica a dúvida sobre o ânimo da equipe após a primeira crise da "Nova Era Dunga".

Um dos envolvidos nos boatos causados pelo corte de Maicon, o volante Elias afirmou que a crise não vai atrapalhar a Seleção. "Não abala nada. A gente fica preocupado com os familiares, mas já resolveu isso. A gente vai tomar as medidas necessárias e vou defender meu País", afirmou ele, que deve ser reserva contra o Equador.

Do outro lado o Brasil vai encontrar uma seleção que também está passando por mudanças, mas aparece confiante. Não tem nenhum astro, como já aconteceu em outros tempos – impossível esquecer de Aguinaga, por exemplo. Aposta no conjunto e tem conseguido alguns resultados razoáveis: na última sexta-feira goleou a Bolívia por 4 a 0. O técnico Sixto Vizuete pode usar o jogo contra o Brasil para continuar testando novos valores, como Fidel Martinez, que já foi chamado de "Neymar equatoriano", mais pelo cabelo exótico do que pelo futebol.

Terra

Leia Também