João Pessoa, 21 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Carta da União

Comentários:
publicado em 05/02/2011 às 10h58

Louvável a iniciativa do deputado federal Ruy Carneiro (PSDB). O tucano se empenha para convencer colegas da bancada da Paraíba, prefeitos de importantes cidades e o Governo do Estado sobre a necessidade da unidade de propósitos em torno de grandes projetos.

Ruy deflagrou o Fórum em Defesa da Paraíba sob o argumento de que já passou e muito da hora da classe política paraibana pensar além dos projetos individuais de perpetuação no poder. Já passamos do tempo de sermos tão esquecidos e marginalizados do centro das atenções do Governo Federal.

Enquanto mendigamos por emendas de bancada, dinheiro para manutenção de programas assistencialistas e verbas para intervenções pontuais, nossos vizinhos Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco abocanham grandes investimentos econômicos.

A tese acertada, sóbria e oportuna de Ruy Carneiro prega a substituição dos palanques, permanentemente armados, pela maturidade política, o último alento que pode nos tirar do atraso secular.

No primeiro momento, advoga o tucano, o foco seria inteiramente voltado à atração de investimentos da iniciativa privada. Recentemente, Pernambuco conquistou a instalação de uma grande montadora de carros.

Enquanto isso, o último considerável investimento concreto do Governo Federal por aqui foi a BR-230, obra que se arrastava desde a gestão FHC. Agora, fomos contemplados com os canais da transposição do São Francisco.

Mas ainda não é nada que nos faça recuperar alguma posição econômica ou nos impulsione na rota do crescimento nacional. A pequena Paraíba precisa pensar grande. Isso só será possível quando a grandeza partir de nossos agentes políticos.

Grita – Foram muitas as reclamações de pro tempore de todos os recantos da Paraíba sobre a falta de pagamento dos salários de janeiro. A secretaria de Administração do Estado orientou os servidores a procurarem suas secretarias. A Associação dos Professores de Licenciatura Plena reclamou da retirada dos 5% das progressões horizontais.

Ludgério assume – O portal MaisPB captou em primeira mão e mais tarde o Governo confirmou entendimento divergente do parecer da procuradoria da Assembléia quanto a posse do deputado Manoel Ludério (PDT) na presidência da PBprev.

Legalidade – O advogado Jovino Neto, consultor jurídico do Governo, vê legalidade da licença do pedetista com base na Lei 7.721, de 2005, apresentada, aprovada e sancionada ainda na gestão de Cássio Cunha Lima. Ludgério e Hervázio Bezerra agradecem.

Divã – O psicólogo Hervázio Bezerra (PSDB) não precisará consultar Freud para dirimir o seu dilema político. Decidido assumir mandato na Assembléia, só falta agora comunicar a Cícero Lucena.

Batata quente – Prudente, o governador Ricardo Coutinho descartou tese de convocação de Hervázio Bezerra para a liderança do Governo. “Hervázio não precisa chegar pegando batata quente”.

Passado – O deputado Aníbal Marcolino (PSL) deu conselho público para Hervázio não assumir.
“Fomos chamados pelo atual governador, quando prefeito, de moleques, marginais e irresponsáveis”.

Legado – O radialista e publicitário Ivan Thomáz deixou mais do que boas recordações para amigos e admiradores. O talentoso cronista esportivo foi exemplo de companheirismo e solidariedade.

Luz e água – O blecaute da Chesf provocou falta d’água em praticamente todos os bairros de João Pessoa. Até ontem à noite, o serviço ainda não havia sido restabelecido. Transtorno para o cidadão.

MP de olho – Ninguém estranhe se nos próximos dias encontrar agências bancárias de João Pessoa fechadas. Como as irrisórias multas não resolvem, só resta essa alternativa para conter o desrespeito.

Pra não misturar – O vereador Tavinho Santos (PTB) explicou ontem que as atividades do Parlamento da Região Metropolitana de João Pessoa foram suspensas durante a eleição para evitar aproveitamento.

Sede – Presidente do Parlamento, Tavinho anunciou retorno da programação em março. A direção do Parlacrem já alugou casa na Capital para oferecer estrutura aos vereadores e prefeitos.

Batendo o ponto – A deputada Léa Toscano (PSB) pode até não fazer um grande mandato, mas garantiu aos seus eleitores pelo menos a disposição de ser uma das mais assíduas da Casa. Já é alguma coisa.

Extremo – O radicalismo do PSOL invadiu outros partidos. O Diretório Municipal debate hoje as declarações do deputado Caio Roberto (PR), para quem o governador é blindado contra denúncias.

Entre aspas“Entrego nas mãos de Deus a minha posse na Câmara”. Do católico suplente Raoni Mendes (PDT) crendo ter melhor sorte que o padre Adelino (PSB).
 

Reprodução do Correio da Paraíba

Leia Também