João Pessoa, 13 de fevereiro de 2011 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Administrador, pós-graduado em Planejamento Operativo, já atuou na administração pública federal, estadual e municipal. Ocupou por três mandatos o cargo de presidente do CRA-PB e de diretor do Conselho Federal de Administração. Diretor Institucional do SINTUR-JP de 1993 a 2016. Consultor em Administração, presentemente exerce as funções de presidente da APCA (Academia Paraibana de Ciência da Administração). Contato: diretorexecutivoaetc@yahoo.com.br

Renata e Diana: “showzaço”!

Comentários:
publicado em 13/02/2011 às 12h46

Por mais que ajam mudanças culturais, persiste, em maior ou menor gráu, entre nós, os efeitos daquelas máximas de que “santo de casa não faz milagre” e de que “a prata de casa nunca chega a ouro”. Por isto, para que uma Elba Ramalho ou um Zé Ramalho sejam hoje vistos e recepcionados como “santos” ou “ouro” nos palcos da Paraíba, como tais precisaram ser reconhecidos e aplaudidos pelo Brasil, especialmente pelo Rio de Janeiro e São Paulo.

Sexta-feira passada aconteceram “shows” aqui em João Pessoa, o mais “chamativo” deles acontecido na “Domus Hall”, com o padre/cantor Fábio de Melo. Mas, por displicência, eu e minha esposa Ana não nos havíamos programado para ali comparecer. E, já à noite da mesma sexta-feira, eis que o telefone toca e quem liga é outra Ana (Ana Guerra Colaço), convidando-nos para com ela e seu esposo Ronaldo (irmão de “minha” Ana), assim como com a amiga Giani Gadelha, irmos para o “samba de roda com Renata Arruda”, lá no Solar das Àguas, praia do Jacaré (Cabedelo). E de pronto aceitamos o convite, até porque já havíamos lido, sobretudo na coluna de Gerardo Rabello, referências as mais elogiosas sobre esse “samba de roda” comandado por nossa Renata Arruda!

Pelas 23 horas chegamos ao Solar das Águas. E de lá só saímos ao final mesmo do “show”, já próximo das 3 horas da madrugada do sábado. E foi um “showzaço”, valendo registrar, portanto, que esse evento teve também a participação de outra paraibaníssima, Diana Miranda, que, com Renata Arruda, juntas, fizeram interpretações que deixaram todos emocionados, particularmente ao encerramento, mais paraibano ainda, lembrando Genival Macedo: “Num recanto bonito do Brasil/ Sorrir a minha terra amada/ Onde o azul do céu/ É mais cor de anil/ Onde o sol tão quente/ Parece mais gentil”… e exalta: Paraíba hospitaleira/ Morena brasileira/ Do meu coração!”.

Não fomos, como já dissemos, ao “show” do padre/cantor Fábio de Melo. E como expresso em outra máxima de que “Deus escreve certo por linhas tortas”, foi bom que eu e Ana não nos houvéssemos comprometidos para a “Domus Hall”, porque, por isso, apresentou-se-nos a oportunidade de vermos, ouvirmos e testemunharmos o “showzaço” da “roda de samba de Renata Arruda”.

E se já nos referimos às “performances” de Renata Arruda e Diana Miranda,, seria injusto se não destacássemos – e Renata exalta isso – o outro excelente desempenho e talento do grupo musical que as acompanharam! São batuqueiros, instrumentistas outros e “cantistas” que, na e para a “roda de samba”, são tão bons quantos os já famosos grupos do Brasil. Aliás, recentemente estivemos em uma renomada casa de “samba de roda” do Rio de Janeiro, a “Castelinho”… E este grupo de cá nos pareceu melhor do que os que assistimos lá!
 

Leia Também