João Pessoa, 18 de novembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

A sucessão em Campina

Comentários:
publicado em 22/02/2011 às 08h18

Ainda falta muito tempo, mas na Paraíba o calendário eleitoral é sempre antecipado, em que pese a precocidade ser extremamente negativa porque desvia o foco administrativo para o viés eminentemente político. E Campina Grande não foge à regra. O assunto sempre ganha destaque em qualquer roda de conversa na Rainha da Borborema, apesar da distância do pleito de 2012. Os dois grupos políticos fingem distância do tema, mas no fundo estão antenados e interessados na costura de nomes para a próxima peleja.

É o que ficou nítido durante alguns lances no Correio Debate (rádio), de ontem, transmitido ao vivo, direto de Campina Grande, de onde Fabiano Gomes e este colunista, com comentários ácidos de Wellington Farias, ancoramos o radiofônico, mais quente e polêmico do que o habitual.

O prefeito Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) manteve o estilo de cautela e ponderação quando discorreu sobre a sucessão. Considera cedo para se imiscuir nessa seara. Sabe que qualquer declaração pode provocar perdas na base e armar o grupo adversário, ávido e sedento pelo retorno ao poder, após jejum de oito anos.

No quartel da Oposição, o deputado federal Romero Rodrigues (PSDB) mostrou apetite para entrar no jogo. “Estou preparado há bastante tempo”, desabafou o tucano explicitando o desejo pulsante de disputar a prefeitura de Campina Grande. Romero se diz amparado pelas votações expressivas de 2004 e 2010, das quais saiu vitaminado e com potencial para figurar no leque de opções do grupo Cunha Lima.

Enquanto Veneziano se poupa de virar alvo das especulações e orienta o grupo a manter prudência, como forma de construir um nome sem açodamento, a base do ex-governador Cássio Cunha Lima faz o caminho inverso e bota o bloco na rua e os nomes na praça política. Diogo Cunha Lima, Romero e Rômulo Gouveia são os trunfos guardados na manga. Desse trio saíra o nome que terá a missão de tentar recuperar o domínio do clã no berço político.

Vitalzinho, a disposição e a mão estendida – O senador Vital do Rêgo Filho (PMDB) pegou o mote da coluna do último sábado. Em contato com o colunista, Vitalzinho se colocou a disposição do governador Ricardo Coutinho para encaminhamento de pleitos da Paraíba. “Estou sempre às ordens. A política exige que a gente saía do palanque”, exortou o senador peemedebista.

Integração e desenvolvimento regional – O governador Ricardo Coutinho apresentou um discurso acima da média. Não deixou de fazer pedidos importantes para a Paraíba na reunião dos governadores do Nordeste, mas concentrou o discurso na defesa de políticas integradas para a região.

Reaproximação – Com autorização ou não, vários emissários do prefeito de Cajazeiras, Léo Abreu, procuraram interlocutores do governador. Léo age no vácuo provocado pelo estremecimento da relação de Ricardo com o ex-prefeito Carlos Antônio (DEM).

Gentilezas – Foi mais amistoso do que muitos imaginavam o encontro do vice-prefeito de Campina Grande, José Luiz Júnior (PSC), com o ex-governador Cássio. Não pareciam antigos adversários.

Trauma – Já não foi muito amistoso o final da ligação do ex-governador Cássio com um aliado histórico do grupo Cunha Lima. Do outro lado da linha houve lágrimas e muito desgosto.

Apelo – O ex-deputado federal Leonardo Gadelha fez um apelo para que José Luiz Júnior reconsidere o anúncio de desfiliação do PSC. “A direção do partido não deseja esse desligamento”.

Litígio – A secretária de Planejamento de João Pessoa, Estelizabel Bezerra, avisou: não dá mais pra ter acordo amigável com a direção do Aeroclube da Paraíba. Conversa agora só na Justiça.

Não abre – O empresário campinense Arthur Almeida, presidente municipal do PTB, passou o domingo de braço dado com Armando Abílio. Por onde andou, se lançou candidato a prefeito em 2012.

Futuro – O prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PSB), assina hoje convênio com o Banco Interamericano de Desenvolvimento que prevê melhorias no trânsito para os próximos dez anos.

Banzo – Depois de $uar muito na campanha eleitoral, o empresário Deca do Atacadão anda desencantado com a política. Pelos cálculos, trabalhou muito, mas até agora não viu retorno.

Preparativos – O secretário de Desenvolvimento Econômico, Gilson Lira, trabalha para fechar as contratações do Maior São João do Mundo, agendado para acontecer de três de junho a três de julho.

Dever de casa – Denúncia dos alunos da Escola Estadual Monsenhor José Borges, de Alagoa Nova. No educandário faltam professores, merenda escolar e limpeza. Pepino para o novo secretário.

Prata de casa – Na tentativa de justificar a nomeação da mulher e de dois filhos como secretários, o prefeito de Mari, Antônio Gomes, disse ao MaisPB que o critério da confiança “pesou muito”.

PINGO QUENTE“Não toco em muitas cidades, porque não sou ladrão”. Do forrozeiro Edmar Miguel, insinuando que prefeitos e secretários exigem, extra contrato, um pedaço dos cachês.

Leia Também