João Pessoa, 19 de setembro de 2017 | --ºC / --ºC Dólar - Euro

ÚltimaHora

Jornalista desde 2007 pela UFPB. Filho de Marizópolis, Sertão da Paraíba. Colunista, apresentador de rádio e TV. Contato com a Coluna: heroncid@gmail.com

Festival de bravatas

Comentários:
publicado em 04/03/2011 às 07h42

O atento leitor paraibano deve estar cansado de assistir o jogo de cena que impera entre deputados da Oposição e do Governo na Assembléia Legislativa. Tal qual a hora regimental para a abertura das sessões, já virou regra em toda legislatura o festival de falácias de ambos os lados.

O pior e mais aviltante é que os nobres deputados, salvo raríssimas exceções, usam o cidadão e a opinião pública como platéia desatenta do circo que vez por outra é montado no plenário da Casa. Há deputados que brincam com o decoro e com a inteligência dos paraibanos.

As bravatas são muitas. Recentemente, a bancada governista propôs a CPI das Gratificações do Governo Maranhão. Os oposicionistas deram o troco e pediram a CPI das Demissões do Governo Ricardo Coutinho.

Depois os deputados ventilaram a instalação de uma Comissão para investigar os fantasmas e a suposta existência de um mensalão orquestrado pelo Governo passado. A Oposição voltou a reagir e concordou com a deflagração da CPI, desde que a investigação fosse estendida ao Governo Cássio. Uma queda de braço sem qualquer sinceridade ou respeito ao Parlamento e ao povo.

Do jeito que vai, daqui a pouco nós paraibanos é quem apresentaremos um projeto de iniciativa popular vedando bravatas na Casa. Só não será melhor porque, aprovado esse dispositivo, muitos parlamentares seriam condenados a mudez.

Sou de ninguém – Depois de PMDB, PSDB, PR e PSB, o ex-deputado Inaldo Leitão prepara as malas para ingressar nos quadros do PP, partido que referendou sua indicação para o Denatran.

CNJ – Do secretário de Administração Penitenciária, José Formiga, sobre a recomendação de fechamento do Róger. “Não dá pra resolver em 60 dias”. É um trabalho de formiguinha.

Antônio Souza, a reação e a defesa a Maranhão – O presidente estadual do PMDB, Antônio Souza, fez abnegada defesa de José Maranhão ao atribuir ao secretário Lucius Fabiane a confecção da nota do Sindicato dos Bancários contra a nomeação do ex-governador na Caixa. “Maranhão está acima de tudo isso. Todo mundo conhece a correção dele durante toda a vida pública”.

Fabiane contra-ataca – Provocado, Fabiani deu o troco no Correio Debate (rádio). “Sabemos a prática de Maranhão na Administração. Não discuto a honra, mas competência ele não tem para assumir qualquer empresa estatal. Maranhão é um coronel da política”.

Conselho de Milanez – O vereador de João Pessoa, Fernando Milanez (PMDB), até defende o currículo e a competência, mas acha que Maranhão não precisa de uma vice-presidência da Caixa. A depender do conselho de Milanez, Maranhão recusaria o cargo ofertado.

Reforma – O deputado federal Efraim Filho (DEM), integrante da Comissão da Reforma Política, defende o fim da reeleição no país. E é porque o PFL ajudou FHC a criar o instituto.

Coração mole – A falta de convite do Palácio do Planalto ao PDT para a reunião da base aliada com a presidente Dilma Roussef deixou enternecido o coração do deputado Damião Feliciano.

Exclusão – “Não vejo com bons olhos essa atitude do Palácio do Planalto”, desabafou doutor Damião, ressaltando a fidelidade ao Governo na votação do mínimo de R$ 545.

Bolsa Família – 50 mil famílias na Paraíba terão que procurar as prefeituras para o recadastramento do programa Bolsa Família, segundo Anderson Barreto, da direção nacional do INSS.

Compromisso – O deputado federal Luiz Couto (PT) diz ter recebido garantias do governador Ricardo Coutinho de que a Secretaria de Segurança irá investigar os grupos de extermínio.

IPTU – O coordenador de Comunicação de Campina Grande, Carlos Magno, negou que a Prefeitura tenha determinado aumento exorbitante do IPTU. “Houve apenas revisão”.

Estratosfera – O vereador Tovar Correia Lima (PSDB) tem em mãos carnês cujos valores foram reajustados em até 2 mil %. Quer explicações do secretário de Finanças, Júlio César.

Mudança – Até agora ninguém sabe o motivo da substituição de Glauce Jácome, da coordenação do Procon de Campina. Ela dirigia o órgão desde o início da gestão de Veneziano Vital.

Pelas beiradas – Pouco a pouco, o senador Vital Filho (PMDB) vai entrando em João Pessoa. Segundo colocado para o Senado, aproveitou o Desfile das Muriçocas para ampliar espaços.

Contenção – A direção estadual do PMDB convocará nos próximos dias uma reunião para discutir as defecções na bancada da Assembléia. Em uma semana, dois aderiram a Ricardo.

PINGO QUENTE“Ciúme de homem, dizem as más línguas, é pior do que de mulher”. Do vereador Hervázio Bezerra (PSDB) tuitando para o colega Bira Pereira (PSB), que garante: foi um mal entendido cibernético.

Leia Também